Entendendo o Replanejamento

Você está aqui:

Descubra o que é e como funciona procedimento responsável pela confeção de cronogramas sob medida para seus alunos

Neste artigo, vamos explicar em mais detalhes o que é o recálculo, o procedimento responsável por criar os cronogramas para seus alunos. Entretanto, para entender como esse procedimento funciona, é preciso ter em mente dois conceitos fundamentais:

  • Planejamento: o planejamento é entendido como a “raiz” do cronograma. De um lado, o planejamento consiste nos critérios, pesos, regras, dentre outras definições estabelecidas por cada coach na criação de seus assuntos e planos de estudo. Em outras palavras, o planejamento consiste em todo o trabalho que você, coach, faz em seu painel de administrador. Entretanto, a dimensão do planejamento também envolve algumas preferências do aluno, como o tempo por dia, a velocidade de estudo desejada, dentre outras informações. Para facilitar o entendimento, imagine que o planejamento é uma receita, contendo todas as instruções para montar um cronograma.
  • Cronograma: por sua vez, o cronograma pode ser entendido como a materialização do planejamento em metas diárias, ou, como no exemplo acima, o bolo que ficou pronto. Em outras palavras, o cronograma é o resultado do planejamento, isto é, um plano de estudos personalizado de acordo com tudo aquilo que foi planejado por você e considerando as preferências do aluno.

Agora que você já conhece essas duas dimensões, já podemos te apresentar o recálculo. Esse procedimento [o recálculo] nada mais é do que o algoritmo capaz de transformar a receita (planejamento) em um delicioso bolo (cronograma).

De forma mais técnica: o recálculo é o processo pelo qual o planejamento previsto para um aluno é organizado na forma de um cronograma de estudos. Na prática, esse algorítmo é extremamente complexo e tem na sua raiz os conceitos: ciclo de matérias, ciclo de estudos e calendário de revisões e exercícios. Entretanto, deixamos isso bem fácil para você e para seu aluno, de forma que você não precisa se preocupar com esse processo. Gostamos muito de usar a metáfora muito estudada por concurseiros em gestão de processos da caixa preta “black box”. A imagem da Wikipédia abaixo ilustra esse conceito:

O que acontece no recálculo é um conjunto de procedimentos e técnicas feitas de forma automatizada por nosso algoritmo treinado, que cuida de montar e ajustar o cronograma. Entretanto, você só se preocupa com a entrada (input) desse processo [o planejamento] e a sua saída (output) que é o cronograma do aluno.

Todas as vezes em que o aluno demande a confeção de um novo cronograma, o recálculo entra em ação. Essas situações ocorrem sempre que for necessário montar um novo cronograma, ou quando há mudanças nas definições do planejamento. Exemplos:

  • Mudança de horários do aluno: é preciso montar um novo cronograma com base nos novos horários;
  • Retirada de assunto ou disciplina do plano: um novo cronograma deve ser feito sem considerar o assunto ou a disciplina retirada;
  • Mudança de velocidade de estudo: um novo cronograma será feito considerando o novo peso dado do assunto;
  • Sinalização de metas já cumpridas: nesse caso, é feito um cronograma que já considera a meta como finalizada;
  • Reativação de assuntos ou disciplinas: o cronograma precisa ser alterado para que os assuntos ou disciplinas sejam inseridos novamente;
  • Recomeçar plano: esse é um caso de montar um novo cronograma do zero; e
  • Replanejar atividades atrasadas: um novo cronograma é feito considerando o dia de hoje.

Em todas essas situações, o recálculo é o mecanismo responsável por montar um novo cronograma a partir do que foi planejado.

Outro ponto fundamental para entender é que o recálculo organiza o plano de estudos do aluno até a data prevista para encerramento. E, sim, esse processo é feito em pouquíssimos segundos 😉 É apenas dessa forma que conseguimos estimar a data prevista para a conclusão das atividades do estudo.

Por que o cronograma do aluno muda com um novo replanejamento?

Por trás do recálculo, existem regras muito detalhadas, como, por exemplo, a programação de revisões, os limites máximos de tempo por disciplina, dentre outros critérios. Por conta disso, essas regras podem fazer com que a distribuição das metas do aluno mude no cronograma. Entretanto, atente-se para o fato de que o que muda é a distribuição, e não o conteúdo previsto.

Além disso, cumpre ressaltar que o fator que mais impacta na distribuição das metas do cronograma é o tempo. Por isso, se o aluno recalcular seu plano em determinado dia ou hora, sua agenda pode ser diferente. Da mesma forma, caso ele troque sua disponibilidade de horários, o calendário também sofrerá variações.

Portanto, a não ser que o recálculo ocorra na mesma hora e com as mesmas configurações, a distribuiçãodas metas na agenda do aluno poderão variar. É como diz o Jota Quest “em qualquer segundo tudo pode mudar” e, para o cronograma do aluno, isso não deixa de ser verdade (afinal, não vivemos no mundo de Dark). 

Em um exemplo prático, imagine que minha programação é a seguinte:

  • 3 horas de estudo segunda;
  • Não estudo na terça;
  • 1 hora de estudo na quarta;
  • Não estudo na quinta;
  • 2 horas de estudo na sexta.

Agora, imagine que eu não cumpri minhas metas de segunda (3 horas) e solicitei um recálculo feito na terça-feira. Como terça-feira é um dia em que eu não tenho horários disponíveis, as minhas 3 horas de segunda-feira vão ser distribuídas no dia de quarta-feira (que só tem 1 hora) e as demais 2 horas vão entrar na sexta-feira. Com isso, as metas são todas distribuídas novamente em um novo calendário.

Em outro exemplo para fixar, imagine que eu tivesse uma revisão de 30 minutos agendada para quarta-feira, referente a um assunto que vi na semana passada. Entretanto, eu adicionei uma meta extra de 30 minutos na segunda-feira, cumpri ela e solicitei um recálculo. Dessa forma, a revisão de 30 minutos pendente será jogada para o dia em que há agenda disponível, isto é: sexta-feira. Isso ocorre por que o espaço da revisão foi preenchido por outro tópico, de acordo com a ordem de precedência dele.

Enfim, apesar de o recálculo ter uma única inteligência por trás, cada recálculo é único. Isso significa que o próprio dia e horário em que ele for acionado pode impactar diretamente na data final e na alocação de metas. Por esse motivo, o recálculo pode afetar a distribuição de metas no resumo da semana assim como a data fim prevista.  Além disso, mecanismos de ajuste como a antecipação de revisões e exercícios pendentes entre recálculos podem afetar essa distribuição. 

Por esse motivo, é conveniente evitar o recálculo excessivo de alunos, já que isso tende a dificultar a visão de médio a longo prazo do cronograma, estimulando mudanças diárias no cronograma do aluno.

Por que o cronograma do meu aluno não atualizou sozinho quando mudei o planejamento?

Como visto, o cronograma não é o mesmo que o planejamento. Por esse motivo, quando você altera um fator do planejamento, como, por exemplo, o ciclo de revisões ou remove um assunto do plano, essas alterações impactam diretamente o planejamento, e não o cronograma de alunos já cadastrados, já que esse cronograma já foi montado com base em outro planejamento.

Lembre-se de que, uma vez montado, o cronograma é calculado até o fim previsto dos estudos do aluno. Por conta disso, alterações feitas no planejamento só terão vigor em um novo cronograma, ou seja, quando o aluno (ou o coach) efetuar um recálculo. Todavia, não se esqueça de que tudo que foi cumprido do antigo cronograma é mantido no novo.

Por isso, o novo planejamento só entrará em vigor quando o aluno efetuar um recálculo a partir das alterações feitas. Caso deseje efeito imediato, será preciso usar o botão de “Redefinir Configurações dos Alunos”, disponível no gerenciador de planos de estudo ou o botão de recálculo programado, disponível no menu de alunos

Anterior Como funciona o recálculo programado?
Próxima Replanejamento de metas atrasadas, em dia e adiantadas
Sumário